Características de Startups

Talvez inovação e crise sejam, atualmente, as palavras mais ditas por empreendedores e gestores. Ambas com com muita intensidade, mas com sentidos e entonações diferentes. Uma para o bem e outra para o mal. E muito provavelmente também, uma como resposta à outra. Inovar para vencer a crise.

Mas inovar como? Inovar aonde? O que é inovar?

Se uma pesquisa informal for realizada com empresas e empreendedores, quase 100% deles dirão, que de uma forma ou de outra, inovam. Seja com os clientes, produtos ou serviços. Mas nós sabemos que no fim das contas, não inovam em absolutamente nada. E a necessidade de inovar muitas vezes é diretamente proporcional ao tamanho da empresa e da crise que se encontra.

Para as grandes empresas, muitas vezes a necessidade de inovar já foi percebida, mas existe uma grande distância entre o falar e o agir. Grandes corporações (ou as nem tão grandes assim) se enrolam nas próprias pernas quando precisam de tomar atitudes ágeis e mudar o rumo da rota em pleno voo. Além de pensar globalmente e agira localmente, existe toda uma regra de complience, governança corporativa, milhões de regras e burocracias até para as burocracias.

Nesse sentido as startups se dão muito melhor e, muito provavelmente, por isso, elas estão surgindo com cada vez mais força e capacidade de trazer verdadeiras inovações para sociedade e mundo corporativo de modo geral. Existem algumas características simples que são adotadas pelas bem sucedidas que podem devem ser copiadas e aplicadas por qualquer empresa:

Agilidade: em um cenário cada vez mais dinâmico e imprevisível a agilidade deve ser habilidade fundamental em qualquer empresa. Os problemas enfrentados precisam ser resolvidos sempre de forma rápida para que a empresa consiga focar no que realmente interessa a ela.

Flexibilidade: acabou aquela de agir apenas conforme o manual do funcionário. Obviamente, dentro do limite do bom senso, empresas e funcionários precisam fazer de tudo um pouco. A flexibilidade para resolver as situações de forma ágil deve ser uma característica positiva para toda empresa.

Empatia: se colocar no lugar do outro já deixou ser apenas um prática de educação para se tornar uma prática de sobrevivência. Quanto mais as empresas buscarem entender os seus clientes e conhecer o mercado em que atua, melhor será a forma de comunicação e consequentemente de aceitação dessa empresa.

Colaboratividade: empresas concorrentes e colegas de trabalho não são inimigos. A colaboração deve ser um ponto comum no mercado para que as empresas consigam alcançar os seus espaços. E eles existem para todos.

Controle de Custos: startups operam quase a custo zero em alguns casos. Muitas vezes precisam validar uma ideia e testar um produto com apenas alguns protótipos e da forma mais simples possível. Não existe a necessidade de altos investimentos e equipes dedicadas para testar um produto ou modelo de negócio sem mesmo saber se existirá clientes para aquela ideia.

Não existem mais espaços para o amadorismo. Além de manter a entrega de produtos e serviços sempre em alto nível, os empreendedores e gestores precisam olhar para dentro de casa e enxergar espaços para melhorias. Além de falar que fazem diferentes, empresas precisam mostrar como fazem diferente.

Felipe Bastos

Author Felipe Bastos

More posts by Felipe Bastos

Leave a Reply